VOLTAR AO TOPO
Diretor do Centro de Pesquisa Global de Doenças Infecciosas Forsyth Institute, em Cambridge, realiza palestra na FMIt
“Como os patógenos intracelulares Mycobacterium tuberculosis e Leishmania escapam do sistema imune e de drogas, habitando céulas-tronco do hospedeiro”
Assessoria de Comunicação e Marketing AISI/FMIt/HE 08/09/2015 11:44

            “Como os patógenos intracelulares Mycobacterium tuberculosis e Leishmania escapam do sistema imune e de drogas, habitando céulas-tronco do hospedeiro”. Esse foi o tema da palestra proferida pelo Diretor do Centro de Pesquisa Global de Doenças Infecciosas Forsyth Institute - em Cambridge (MA,USA); membro do Departamento de Imunologia e Doenças Infecciosas; professor de Medicina Oral, Infecção e Imunidade na Harvard School of Dental Medicine e prof. da Faculdade de Medicina de Itajubá (FMIt), Dr. Antônio Campos Neto (MD,PhD).   
           A palestra, ocorrida no dia 31 de agosto, no Anfiteatro Dr. Albert Sabin, apresentou evidencias claras de que micróbios como os agentes que causam a tuberculose e a leishmaniose visceral conseguem, através de um mecanismo altamente intrigante e inesperado, se proteger da resistência imunológica das pessoas que se infectam com esses microrganismos.  
           “Esses agentes infecciosos entram dentro de células tronco mesenquimais e com isso eles (os agentes infecciosos) se protegem porque as células mesenquimais não estimulam o sistema imunológico dos pacientes e, portanto, funcionam como um “cavalo de Troia” para os micróbios.  Outro aspecto altamente favorável aos micróbios que infectam essas células é o fato de que elas (as células) possuem em suas paredes um mecanismo muito eficiente de impedir que drogas ou agentes terapêuticos entrem e fiquem dentro delas”, explicou Dr. Campos.
         “Isso é conseguido através de estruturas ou moléculas chamadas de “bombas de efluxo”.  Por conseguinte, os micróbios que “vivem” dentro das células mesenquimais ficam protegidos contra as drogas que são utilizadas no tratamento das doenças que eles causam.  Esse novo achado explica, pelo menos em parte, o porquê é extremamente difícil tratarmos curativamente doenças como a tuberculose, a leishmaniose visceral, e possivelmente outras infecções.  Portanto, esses dados abrem importantes perspectivas para estudos futuros que almejem a descoberta de novas e melhores drogas para o tratamento dessas graves doenças”, completou.
           Na oportunidade, Dr. Campos agradeceu o honroso convite recebido para  proferir uma palestra na FMIt, feito pelo presidente da Associação de Integração Social de Itajubá (AISI),  Prof. Dr. Kleber Lincoln Gomes.  “Para mim foi maravilhoso voltar à FMIt depois de mais de uma década.  Fiquei extremamente impressionado com a qualificação dos professores e alunos.  As perguntas científicas formuladas por eles durante e após a palestra foram altamente pertinentes, o que refletiu uma formação médica tão qualificada quanto aquela de vários outros centros médicos/acadêmicos do Brasil e do exterior pelos quais tenho passado.  Isso foi para mim um atestado vivo da extraordinária mudança na orientação acadêmica/científica pela qual a FMIt está passando.  Isso é formidável.  Meus parabéns aos diretores da AISI e da FMIt”, finalizou Dr. Campos. 

Clique para ver imagens da notícia

Divulgação

AISI/Faculdade de Medicina: (35) 3629-8700 Hospital Escola: (35) 3629-7600

AISI - Institucional

228986 Visitas
1 Online

Associação de Integração Social de Itajubá Av. Renó Júnior, 368 | São Vicente | CEP 37502-138| Itajubá - MG